domingo, 28 de abril de 2013

Lado bom e ruim.


Quando pensamos em ter filhos temos que planejar, aprender a lidar com as dificuldades, o mundo materno não é um mar de rosas.

Quando eu quis me tornar mãe eu era muito novinha ainda, não vou negar que naquela época eu pensava que tudo era lindo e maravilhoso. Mas com o passar do tempo eu fui vendo as dificuldades que uma mulher tinha para criar um filho, tinha até mesmo um exemplo dentro de casa que era minha mãe, não bastava ser mãe tinha que ser pai também. Trabalhar, deixar filho sozinho em casa, sem saber se ele estava indo pra escola, com quem estava indo, com quem vivenciava. Foi muito complicado pra minha mãe, mas só agora que eu vejo deste modo, porque antes eu julgava quando queria alguma coisa e ela não me dava, pensava que não me amava e falava pra ela.
Hoje eu ainda não tenho a plena certeza do que é, mas eu comecei a ver o quanto doía pra ela não poder me dar o que eu queria, ter que passar madrugadas na frente da maquina de costura pra poder colocar comida e roupa pra mim e meus irmãos, ter que pagar aluguel, sem pedir um centavo para nossos pais. A maternidade pra minha mãe não foi e nem chegou perto de ser um mar de rosas, ser pai e mãe fui complicado demais pra ela, mas ela conseguiu, foi guerreira e perseverante, não fraquejou em nenhum momento e fez tudo o que pôde por nós.

Quando mais nova eu queria um filho, não importava se teria pai ou não, só queria um filho e ponto. Achava que o exemplo da minha mãe bastava. 
Depois que conheci o Luís eu nunca mais consegui me ver mãe sozinha. Demorou pra convence-lo de ser pai, ele tinha outros planos, se formar, comprar casa, carro. Cheguei a pensar que ele não queria ser pai de jeito nenhum, tamanho era o medo dele, cheguei a pensar que o meu maior sonho estava acabado, que não seria mais mãe por ter escolhido viver ao lado dele. Foram 4 anos para conseguir ouvir um "SIM" quando eu pedia um filho. Foi mágico pra mim, chorei de felicidade. Saber que só bastava minha benção se fixar em meu ventre e gerar ele. E não seria como eu vi toda minha infância, sem um pai presente, porque o Luís é um Marido que pedi a Deus e sei que vai ser o Pai maravilhoso que almejei para meus filhos.

Comecei a pesquisar tuuudo sobre a Maternidade. Comecei a ouvir "Você é louca, vai casar nova. Já quer filho. Espera curtir mais um pouco com o marido. blablabla".
Podem me falar o que quiser, esculto mas não tenho que aceitar, para  mim a vida já foi muito curtida, estou curtindo meu marido, estou curtindo a minha vida e sei que vou curtir tudo isso e muito mais quando a minha benção estiver aqui. 

É complicado?? 
É eu sei que é. É difícil a gravidez, tem enjoos, tem cansaço (mais ainda), você engorda (e ainda mais quando se esta acima do peso), nascem estrias, os peitos doem, tem falta de ar, anda feio, dorme mal, a barriga cada vez cresce mais e com consequência fica mais pesada, anda super desconfortável. Daí vem o parto, se for normal (é o que eu quero) doí as contrações, você pensa que não vai conseguir, daí passa horas e mais horas, talvez mais de um dia, daí você tem aquele circulo de fogo junto com dores que parece que esta quebrando sua bacia, e aí nasce. Você se sente mais mulher, forte e com sua cria ali em seus braços, tudo o que você sempre sonhou (pelo menos eu). Pode acontecer de o parto normal não acontecer, daí você sentiu todas as dores do parto normal e tem que ir pra mesa cirúrgica, leva agulhada nas costas, nos braços, é cortada, seu bebê é puxado, chora e tem que ir pra longe de você, você quer pegar mas não consegue mexer nem os dedos e nem pode, é costurada, depois tem que esperar não sei (nem quero saber) quantas horas para poder beber um copinho de água, depois espera aquela anestesia horrível sair do seu corpo, fica mal pra caramba. Depois de mais de 12 horas você consegue poder pegar seu bebe. Outro momento difícil lhe dar com a cesárea (MINHA OPINIÃO).
Começa outra fase difícil, conciliar bebê, casa, marido e você. Casa marido e você esquece, o bebê é totalmente dependente de você. Madrugadas acordada com o bebê mamando (se der sorte ele tem um bebê bem calminho que quer mais dormir do que mamar). Logo cedo, mamar pro bebê, depois de todo um processo você vai comer alguma coisa. Daí o dia todo segue em volta do bebê, o resto quando der você faz.

Gente eu sei de tudo isso, e sei que tem muiiiito mais que eu não escrevi porque já esta longo demais esse post. 
Mas e se for isso o que eu quero pra minha vida, de quem é o problema????
São momentos difíceis que vão passar, a vida é assim. Depois de um tempo você vai olhar pra trás e vai valorizar cada segundo que passou, vai agradecer a Deus por aquela ser a sua vida. Vale a pena.

Bom é isso o que eu escolhi pra mim, ainda não estou vivenciando mas espero vivenciar cada um deles, menos a cesárea. 
Eu sei que a vida materna "perfeita" é dos ricaços que podem pagar uma boa babá, que podem proporcionar uma vida "linda" para seus filhos, sem precisar parar com a vida própria de ir as compras sem crianças chorando, sem ter que se preocupar em dar de mamar ou esquentar papinha.
Mas quando olho para as crianças eu vejo que aquela vida não é perfeita, que presente nenhum vale um momento de carinho e de poder passar o dia com a mãe e não com uma babá.
Eu que não queria ser filha de alguém rico assim e que fizesse isso comigo.

Desculpa ai pelo post longo, parei. kkkkk Eu estava precisando escrever isso, é pra mim mesma ver que eu fiz uma escolha certa e que vai me fazer feliz.
Beijos.

5 comentários:

Ana - Vem bebê disse...

Comadre, primeiro, já me redimi lá no blog! rsrs
E concordo com vc. Eu tb não gostaria de nascer em família de ricos em que eu fosse criada por babá...
Meu sonho em ser mãe vem acompanhado do pacote completo! E digo que vamos ser ótimas mães e nossos bebês vão ser muito amados, assim como já são!
Não sei se com vc foi assim... mas quando vc se apaixonou pelo seu marido, vc também se apaixonou pelo futuro pai que ele seria? Eu visualizei no Gustavo um super pai e isso me deixa mais apaixonada por ele. E isso já um amor de mãe embutido em nós! Doido, né?!
Não vejo a hora de te ver barrigudinha! Vc merece, e esse baby que está aí no astral esperando a cegonha já é muito sortudo em ter uma mãe que o amará demais.
Beijos, fica com Deus!
A Lala deu uma mexidinha, traduzi que são beijinhos para a Dinda.

Amor desde infância disse...

Vc tem razao a maternidade nao e um mar de rosas é como a nossa vida as vezes vamos estar irritadas cansadas com casa desarrumada roupinhas e mais roupinhas para lavar kk, mais as vezes vamos estar radiantes, como por exemplo ver o 1° sorriso do nosso bb o 1° passo tudo e valido temos que passar por isso sei que Deus nos conhece,sabe como levamos nossas vidas nossas reais condições e nos ampara como sempre amparou um exemplo sua mae! ela venceu esta ai vc uma linda mulher casada que quer ter o seu proprio filho ela sofreu mais venceu um bjao!

Thaty Oliveira . disse...

Adorei o texto!
Ótima semana querida, beijos!
http://principecaioandre.blogspot.com.br/

♥ Nanda ♥ disse...

amiga é isso mesmo
a maternidade não é um mar de rosas
quando eu era novinha queria ter minha filha com 15 anos pra ela crescer junto comigo pode rs
estou na minha segunda gestação e o pensamento é outro sou mais segura no que quero
e é isso mesmo é o que eu escolhi pra mim
e quando eu olhar para trás vou vê o quanto valeu a pena
amei sua postagem amiga
linda noite bjs

http://sermamaepelasegundavez.blogspot.com.br/

Nana B. disse...

ahh querida! é claro q vc sabe! dificilmente uma mulher que planje a a gravidez nao pensa nas coisas boas e ruins.

O problema é que as pessoas acham que sabem o que é melhor para nós... nao fazem por mal, mas acabam se metendo ne?

Sim!! a escolha é perfeita!! siga seus planos!!! e bora nenem no colo!!!

Beijao!

http://maisdoquedois.blogspot.com.br/

Postar um comentário

Amooo quando recebo comentários.